quinta-feira, 27 de setembro de 2007

Resumo - Palestra no Hospital Sarah - Brasília (8 ano - Ensino fundamental)

Causa de lesões que levam a internação no Sarah Brasília



Acidentes de carro - 42,9 %
Armas de fogo – 11,8% (a cidades em que esta causa já ultrapassa o de acidentes de carro)
Acidentes em esportes - 6,7%
Mergulho em águas rasas - 5,8%
Esforço físico (levantamento de objetos pesados) – 2,4%


Dos processos seqüelares o mais grave é a lesão irreversível do tipo tetra (imobilização de pernas, braços e falta de sensibilidade visceral-sistema urinário, digestório e zona sexual).

Reabilitação- uma das missões do sarah, não é sinônimo de cura. Os processos de lesão medular são irreversíveis, portanto, reabilitação associa-se muito mais a readaptação do indivíduo a novas condições ou a melhoria das condições de vida do indivíduo em relação a situação atual.

Lesões nas vértebras cervicais (zona do pescoço), chamada de lesão alta, são tão graves que exigem traqueotomias para a sobrevivência imediata do paciente. Todos os órgãos abaixo da lesão perdem sua funcionalidade após a lesão medular.

O tratamento do paciente envolve cateteres urinários, dieta controlada, controle de riscos de infecção, movimentos do corpo realizados por terceiros para evitar escaras (feridas) em áreas que permanecem pressionadas.

Os acidentes são, infelizmente, cotidianos em nossa sociedade, tais acidentes são cada vez mais freqüentes entre jovens menores de 24 anos e com as chuvas, o risco de acidentes aumenta em 70%. Neste ponto a atenção de motoristas e pedestres deve ser redobrada. Um bom número de acidentes ocorre por excesso de confiança de motoristas e pedestres e por fatores surpresas que não permitem tempo a reação de escape ocasionado letais ou trágicos acidentes.

Mesmo cumprindo os padrões de segurança em trânsito há riscos.

48% dos acidentes de trânsito envolveram jovens entre 15 e 29 anos. 47% envolveram pessoas entre 30 e 44 anos

13% nas camadas mais jovens e 16% nas maiores já sofreram acidentes por quedas. Destes 49% caíram da própria altura e 37,5% de um metro e meio de altura. Tais acidentes podem levar a lesões graves e irreversíveis.

Acidentes de trânsitos. A maior parte dos sobreviventes são aqueles que estão dentro dos carros. A maior parte dos pedestres morre. A maior parte dos pacientes que estavam no carro (68,5%) estava sem o cinto de segurança. A associação da massa dos automóveis e a velocidade levam a proporção de tonelada de pressão sobre indivíduos durante acidentes.

Cerca de 80% dos acidentes de trânsito envolvem carros e motos. Quando pedrestes não morrem, têm grande probabilidade de lesões irreversíveis. Durante a palestra foram apresentados depoimentos de pacientes e parentes sobre como foram seus acidentes e como vivem. Infelizmente as impunidades no País levam os padrões de falta de compromisso do causador do acidente a conseqüência deste acidente.

Distância de frenagem

40 Km/h - 6 m

60 km/h – 15 m

80 km/h – 30 m

100 km/h – 50 m

Tais valores de distância dobram se a pista estiver molhada e escorregadia.

Choques frontais são geralmente fatais.

Os itens de segurança com cinto de segurança, barras laterais de proteção, air bags não são obrigatórios nos carros nacionais. Carros vendidos no Brasil têm preços mais caros e sem os itens de segurança como air bags. O brasileiro tem de pagar 6000 Reais para obter tais itens de segurança. A segurança é culturalmente desprezada no Brasil. Apenas 3% compram carros com todos os itens de segurança.

Um acessório ilegal denominado de clipe afrouxa o cinto de segurança e aumenta em mais de 20% as chances de acidentes de lesões medulares graves. O cinto foi feito por engenheiros e médicos que estudam a proteção durante choques e acidentes. Portanto, acostume-se com o cinto, este é uma garantia de vida.

Um choque de 60 km/h sobre uma pessoa de 60 kg equivale a 1 tonelada de pressão sobre tal pessoa. O cinto agüenta tal peso e ameniza consideravelmente os riscos de lesão. O cinto também deve ser usado no banco atrás, pois o passageiro sobre pressão na ordem de toneladas podem ter choques de cabeça e tórax fatais alem de choques sobre passageiros da frente.

Dos acidentes de trânsito, mais de 70% dos pacientes apresentam lesões cerebrais e/ou medulares. Mais de 90 % de acidentes com armas de fogo apresentam lesão na medula e cerebral. 100% de acidentes de mergulho levam a lesão medular. 100% de acidentes por asfixia e choques elétricos levam a lesão cerebral. Lutas e lesões corporais tem índice de 50% de lesões medulares e cerebrais.

Foi apresentado um vídeo sobre lesão medular e cerebral.

Lesão Medular

A Medula, localizada dentro da coluna vertebral, é uma parte do "Sistema Nervoso Central" que conecta o cérebro com os nervos responsáveis pela condução das ordens motoras e sensitivas. Qualquer trauma ou doença que acometa a medula espinal produzirá alterações motoras, sensitivas, viscerais (bexiga e intestino), sexuais e tróficas (pele).

A lesão pode ser:

Completa: quando atinge todas as vias motoras e sensitivas.

Incompleta: quando compromete somente algumas vias motoras e/ou sensitivas.

Quando a Lesão está localizada:

- Na região Cervical (Pescoço), provocará a paralisia dos 4 membros ou TETRAPLEGIA.

- Na região Tóraco-lombar (Tronco), provocará a paralisia dos membros inferiores ou PARAPLEGIA.

Dependendo da lesão, a paraplegia ou tetraplegia podem se instalar de forma gradativa (tumor, doenças degenerativas) ou de forma aguda (trauma). Quando a lesão se instala de forma aguda, podem-se caracterizar diferentes etapas no quadro clínico apresentado: A primeira e mais dificil etapa é chamada de "fase de choque", pode durar algumas semanas ou vários meses. Nesta fase a medula, abaixo da lesão, não apresenta nenhuma atividade, provocando a paralisia flácida, perda de todos os tipos de sensibilidade e total ausência do controle de esfíncteres (bexiga e intestino).No homem neste período há ausência de ereção e ejaculação, na mulher pode haver amenorréia (falta de menstruação).


Após a fase de choque, dependendo do tipo de lesão, o paciente apresentará manifestações clínicas diferentes:- Lesão Completa: persistência da paralisia motora e da falta de sensibilidade podendo aparecer ou não, dependendo do nível da lesão, movimentação involuntária reflexa.- Lesão Incompleta: retorno parcial ou total da movimentação voluntária e/ou sensibilidade.Nesta fase, através de um programa de reabilitação, o paciente, de acordo com o nível e tipo de lesão consegue gradativamente maior independência e aprende a ter um novo controle de seu corpo.Com a ajuda de "Profissionais" especializados e competentes o lesionado aos poucos vai adquirindo confiança em si mesmo e conseguindo alcançar uma certa independência, mas isto tem quer ser muito bem trabalhado também pelos familiares.

Em vários momentos da palestra são apresentadas reportagens sobre acidentes de carros e pacientes mostrando o desastroso resultado da união de bebida alcoólica e direção de veículos.

Demonstrou-se os efeitos de drogas comuns como o THC da maconha sobre o cérebro mostrando que drogas derivadas de produtos naturais ou drogas sintéticas são igualmente perigosas.
Mostrou-se que o fígado elimina 90% das toxinas alcoólicas e drogas em geral.

As drogas levam a degradação de atividades cerebrais e podem desencadear doenças degenerativas. Verificou-se os mecanismos de vício e dependência e as relações de informações subliminres e padrões genéticos que levam a predisposição de vícios, dependências e uso de drogas variáveis.

O uso de cigarro aumenta consideravelmente os riscos de derrame cerebral, trombose, câncer de boca associados a gengivites e outros cânceres como pulmão e sistemas digestórios.